>>DÚVIDAS

1 - ACESSO RESTRITO - LOGIN
  Como conseguir uma senha para acessar a parte restrita do site?
 

Os campos para identificação de CPF e senha são de uso exclusivo dos operadores da Rede, funcionários de organizações pré-cadastradas, que trabalham com a questão do desaparecimento de crianças e adolescentes. Somente estes funcionários têm permissão para alterar o conteúdo do site.

 

2 - Seção DESAPARECIDOS

  Descrição da Seção:
 

É a seção de abertura do site. Na página inicial da seção aparece um mapa político do Brasil, com as 27 Unidades da Federal representadas. Ao se clicar sobre a área de um Estado ou do Distrito Federal neste mapa, é apresentada uma listagem alfabética das crianças e adolescentes desaparecidos na referida UF. Para cada caso, ao lado de uma foto reduzida da criança ou do adolescente, são fornecidos dados de identificação pessoal e referentes ao desaparecimento. Os casos são apresentados em grupos de 5. Ao final de cada página há números indicando o número da página atual (não sublinhado) e links para as outras páginas de casos da mesma UF (números sublinhados, se houver mais de 5 casos cadastrados no Estado).

  Quem cadastra os casos que estão exibidos no site?
 

O cadastramento dos casos que aparecem no site é feito, via Internet, pelas "agências executoras" da Rede Nacional de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos - ReDESAP que são, em geral, Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente, vinculadas à Polícia Civil dos Governos Estaduais, mas há também órgãos de Assistência Social e ONG's. Além de cadastrar os casos, essas organizações realizam o acompanhamento (buscas, investigações, suporte à família), atualizando os dados do site de acordo com o desdobramento dos casos.

  Como faço para cadastrar um caso?
 

Veja as instruções abaixo, nas informações sobre a seção DENÚNCIAS.

  Existe algum limite de tempo de espera para que um caso possa ser cadastrado?
 

Não. Os casos podem ser cadastrados a partir do momento em que se percebeu o desaparecimento. Como várias "agências executoras" têm cadastros próprios e páginas próprias na Internet, acontece de algumas delas colocarem no cadastro nacional da ReDESAP apenas os casos que não logram uma rápida localização da criança ou adolescente, geralmente 1 mês após o desaparecimento, mas isso não é uma regra.

  Quais são os principais tipos de desaparecimento?
 

Essa informação pode ser obtida clicando-se no link AJUDA, na seção DENÚNCIAS.

  Quais os critérios para cadastramento de um caso?
  Os casos cadastrados na ReDESAP atendem 3 critérios, a saber:
    1) Idade menor que 18 anos na data do desaparecimento;
2) Paradeiro atual ignorado;
3) Consentimento por escrito dos pais ou responsáveis para divulgação da foto.
  Como visualizar os detalhes sobre cada caso?
 

Para visualizar uma página com os detalhes de cada caso (foto ampliada, circunstâncias do desaparecimento e informações de contato) basta clicar sobre o nome da criança ou adolescente na lista alfabética dos casos de cada Estado. A página de detalhes do caso pode ser impressa e utilizada como um pequeno cartaz, bastando para isso clicar no botão de imprimir do browser, no momento em que a página estiver sendo visualizada.

 
3 - Seção ENCONTRADOS
  Descrição da Seção:
  Nesta seção são apresentados os últimos 100 casos solucionados, classificados por ordem decrescente de data de localização, isto é, os últimos "encontrados" são os primeiros exibidos. Inclui informações sobre a data e as circunstâncias da localização.
 

4 - Seção DENÚNCIAS

  Descrição da Seção:
 

Através dessa seção é possível a qualquer visitante do site comunicar o desaparecimento de uma criança ou adolescente, submetendo dados e uma foto recente do desaparecido. Para tanto, é necessário preencher completamente o formulário apresentado na seção.

  Preenchi e enviei o formulário, mas o caso não foi exibido no site. O que está errado?
 

Não há nada errado. Quando um visitante envia o formulário de denúncia, as informações são gravadas no banco de dados e ficam disponíveis às "agências executoras" do Estado onde se deu o desaparecimento, para autenticação. O caso permanecerá com status "aguardando" e só poderá ser visto pelos operadores da ReDESAP, até que seja autenticado. A autenticação consiste num contato entre a "agência executora" e o denunciante, geralmente por telefone, para confirmação dos dados da denúncia e obtenção de informações complementares e da autorização dos responsáveis para a divulgação da foto. Isto é muito importante para o acompanhamento posterior do caso. O denunciante pode ser solicitado a comparecer à "agência executora", levando a foto da criança ou adolescente para nova digitalização. Após essa autenticação, a "agência executora" altera o status do caso para "ativo", quando então a foto e os dados poderão ser vistos pelo público em geral.

  Como faço para enviar a foto do desaparecido?
 

A foto a ser enviada juntamente com o formulário de denúncia respondido deverá ser digitalizada ("escaneada"). A área da imagem a ser digitalizada deve abranger apenas a cabeça e os ombros da pessoa desaparecida, como numa foto 3X4. É desejável que o tamanho da imagem digitalizada seja de 400X500 pixéis. Se você não sabe como fazer isso, procure regular o scanner para uma resolução de 200dpi ou maior. Certifique-se de que a imagem gerada seja grande, pelo menos do tamanho das imagens ampliadas que aparecem na página de detalhes dos casos. O formato do arquivo deverá ser JPG, que é o mais adequado para a Internet. Caso você não consiga salvar como JPG tente o formato BMP, mas nesse caso o tamanho do arquivo em bytes será grande e você necessitará de uma boa conexão de Internet para enviar a imagem. Depois de ter a imagem digitalizada e gravada no disco rígido do seu computador, preencha o formulário de denúncia e no campo apropriado (Identificação Visual) clique no botão "Procurar..." e localize o arquivo no seu disco rígido, apontando assim o caminho para o upload da imagem. O envio da foto é essencial. Se você não possuir um scanner procure alguém na sua cidade que possua o aparelho e peça-lhe ajuda.

 

5 - Seção PESQUISAS

  Descrição da Seção:
 

Nesta seção existe um mecanismo de busca, para localização de casos no banco de dados. São fornecidas algumas opções de filtros para a pesquisa: por nome (primeiro nome), por apelido, por datas de nascimento e desaparecimento e por município/UF.

 
6 - Seção ESTATÍSTICAS
  Descrição da Seção:
 

É possível obter nesta seção as estatísticas sobre crianças e adolescentes desaparecidos no Brasil, cadastrados na ReDESAP. Ao entrar na seção são apresentadas as estatísticas gerais, por Unidade da Federação, das crianças e adolescentes atualmente desaparecidos e os já localizados, desde o início de funcionamento do site, em dezembro de 2002. Ajustando-se os comandos acima da tabela, pode-se obter estatísticas específicas, por período determinado de tempo (por exemplo, do último mês), por tipo de desaparecimento, por raça e sexo. Os critérios podem ser combinados.

 
7 - Seção VÍNCULOS
  Descrição da Seção:
 

A seção VÍNCULOS mostra detalhadamente a configuração da Rede Nacional de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, apresentando os atores institucionais diretamente envolvidos e o seu respectivo nível de participação. Os participantes da Rede estão distribuídos em 3 grandes grupos, a saber:

    Agências executoras:
   

São as organizações parceiras encarregadas do cadastramento e acompanhamento dos casos exibidos no site. Devem ser procuradas pelas pessoas interessadas em localizar crianças e adolescentes desaparecidos. Sua participação na Rede é por adesão e, geralmente, estão vinculadas a Governos Estaduais ou Municipais, embora haja também a participação de ONG's. Seu cadastramento é realizado pela Coordenação da ReDESAP, da Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (PR/SEDH/SPDCA).

    Parcerias de divulgação:
   

Atuam na divulgação dos casos de crianças e adolescentes desaparecidos e da própria ReDESAP. A divulgação dos casos e da Rede é realizada de diversas maneiras: cartazes, links na Internet, televisão, jornais, rádio, embalagens, impressos, etc. O cadastramento das parcerias de divulgação é realizada pelas "agências executoras" e pela coordenação nacional da ReDESAP. Há parcerias de divulgação de âmbito local, regional, estadual, nacional e internacional.

    Apoiadores:
   

Colaboram com a ReDESAP de formas diversas, oferecendo serviços ou recursos de interesse da Rede (textes de DNA, exames prosopográficos, envelhecimento digital, recursos de informática, etc). Os apoiadores podem ser locais, regionais, estaduais, nacionais ou internacionais. O cadastramento dos apoiadores é realizado pelas "agências executoras" e pela coordenação nacional da ReDESAP.

 

8 - Seção SERVIÇOS - Mensagens recorrentes via e-mail (SPAM)

  Descrição da Seção:
 

Esta seção destina-se a orientar o público quanto a mensagens com pedidos de ajuda enviadas indiscriminadamente por correio eletrônico e que se transformam em "correntes", circulando indefinidamente pela Internet, sem que se saiba se se tratam de fatos verdadeiros ou não. Através das suas "agências executoras" a ReDESAP está investigando cada uma destas mensagens e o resultado das investigações é exibido no site. Desta forma, as pessoas têm como verificar o status atual dos casos, antes de resolverem reencaminhar a mensagem para sua lista de endereços eletrônicos.

 

Caso você receba mensagens com esse tipo de conteúdo, solicitando-lhe para reenviá-la, consulte-nos antes, encaminhando a mensagem para os endereços criancasdesaparecidas@sedh.gov.br ou criancasdesaparecidas@mj.gov.br . Desta forma, procederemos a verificação e atualizaremos esta seção, combatendo o uso inadequado de imagens de crianças e adolescentes com finalidades obscuras (às vezes divulgam links comerciais junto às mensagens e há quem afirme que esta é uma forma de se obter endereços eletrônicos para o envio de SPAM)

 
MAIORES INFORMAÇÕES
SEDH/SPDCA - Coordenação Nacional da ReDESAP
Esplanada dos Ministérios, Bloco T, Ed. Anexo II, 4º andar, sala 420, Brasília/DF, CEP 70064-900.
Fone (61)429.9336