data/documents/storedDocuments/{334263AD-A534-4B0E-AD1D-363427828AB4}/{73F17C2B-4A61-458C-AF49-76E7575B2807}/MJ.gif
Reforma do Judiciário
pixel
Sexta-feira, 27 de março de 2015
pixel
pixel

pixel
pixel
  Institucional
  Ações
 Mapa de Ações
 Acesso à Justiça
 Alterações legislativas
 Assistência ao Preso
 Força Nacional da Defensoria
 Capacitação de Operadores
 Efetivação Lei Maria da Penha
 Justiça Comunitária
 Modernização da gestão
 Pesquisa/Diagnóstico
 Projeto Pacificar
  Pacto Republicano
 Ação Civil Pública
  Reforma Constitucional
 Controle externo
 Ingresso nas carreiras
 Crimes contra D. Humanos
 Quarentena
 Defensorias Públicas
  Projetos Infraconstitucionais
 Alterações P. Trabalhista
 Alterações Processo Civil
 Alterações Processo Penal
 Emenda Constitucional
 Projetos sugeridos
  Provimento e Vacância
 Fluxograma
 Processos de Provimento
 Processo de Vacância
 Processos concluídos
 Publicadas
 Tramitação/Andamento
 Requisitos legais
  Banco de Iniciativas
 Acesso à Justiça
 Agilidade Processual
 Conciliação
 Informatização
pixel
pixel
  Serviços
Clipping
Entrevista
Estrutura
Eventos
Licitação
Links
Mapa
Notícias
Publicações
Seleção de consultores
pixel
pixel
pixel
pixel
Reforma do Judiciário » Ações  »  Assistência ao Preso
pixel
pixel
pixel
pixel

Assistência ao Preso

Para a implementação de uma política pública eficaz, que traga resultados para a segurança pública e com enfoque prioritário na garantia dos direitos humanos, a Secretaria de Reforma do Judiciário realizou longo debate e articulou com os principais atores do processo: Defensoria Pública, Poder Judiciário, Ministério Público, Sociedade Civil, Departamento Penitenciário Nacional e o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária.

O enfoque principal no âmbito da ação “Assistência Jurídica Integral ao Preso, Presa e seus Familiares” é a democratização do acesso à Justiça, conferindo aos presos e presas tratamento digno e respeito aos seus direitos. A assistência jurídica prestada pela Defensoria Pública busca garantir a plena observância aos critérios de progressão de regime, com atenção especial para os casos em que o preso já cumpriu sua pena e deveria ter retornado ao convívio em sociedade.

Por meio do apoio da SRJ na estruturação das Defensorias Públicas com ampliação de recursos humanos, aquisição de equipamentos e sistemas de informação, otimiza-se o trabalho exercido pelos defensores públicos no atendimento às pessoas privadas de liberdade e seus familiares.

Outro eixo importante nessa temática é a ação articulada entre a SRJ, o Departamento Penitenciário Nacional e a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, na concepção de mutirão de assistência jurídica para as mulheres encarceradas.

São grandes os desafios, mas a dedicação dos defensores públicos, somada ao fortalecimento da Defensoria Pública no Brasil, certamente trará benefícios aos presos, presas, seus familiares e a toda sociedade.

Sete diretrizes e metodologias norteiam a parceria da Secretaria de Reforma do Judiciário com a Defensoria Pública do Brasil, são elas:

  1. Conscientização do preso e presa quanto aos seus direitos, assim como os deveres que lhe cabem, por meio da elaboração de cartilhas;

  2. Fomento à criação e fortalecimento de núcleos especializados, coordenados por defensores públicos com dedicação exclusiva;

  3.  Apoio à informatização e compilação de banco de dados da situação prisional, otimizando o trabalho e produzindo diagnósticos e estatísticas;

  4. Adequação de estrutura física e de pessoal, no intuito de viabilizar o atendimento em todas as penitenciárias e locais de encarceramento provisório, alcançando o atendimento pessoal dentro das unidades e não apenas a análise processual;

  5. Atendimento aos familiares do preso, orientando sobre o auxílio-reclusão, bem como a inclusão em outros programas sociais como Bolsa Família, Projeto de Proteção dos Jovens em Território Vulnerável (Protejo), Mulheres da Paz, entre outros;

  6. Atendimento especializado para as mulheres apenadas, com atuação nos processos sobre guarda de filhos e pátrio poder, fiscalizando o cumprimento de pena em presídio feminino, e o direito a trabalho adequado à condição da mulher e;

  7. Realização de estudos e apoio a projetos de alteração da Lei de Execução Penal, que propiciem maior agilidade nos procedimentos judiciais e ampliem a garantia dos direitos dos apenados e presos provisórios.

Para a implementação dos Núcleos de Assistência Jurídica ao Preso, Presa e seus Familiares, a Defensoria Pública dos Estados e da União devem apresentar projetos identificando as demandas em estrutura e contratação de pessoal, acompanhado do plano de trabalho e a discriminação dos valores pleiteados. A partir da aprovação dos projetos, serão assinados convênios com os parceiros.

Como enviar projetos

Ação Pronasci/Objeto - SICONV
Ação 78/PI 3002P - Assistência Jurídica aos Presos e seus familiares pela Defensoria Pública

Orientações para apresentação de propostas, clique aqui


Mais informações pelo e-mail assistenciajuridicapresos.srj@gov.br ou pelo telefone: (61) 2025.9118.

 

Saiba mais
data/documents/storedDocuments/{334263AD-A534-4B0E-AD1D-363427828AB4}/{74C6320D-5C4F-4F99-A7B6-3DCBB3D595B4}/separacao.gif

Força Nacional da Defensoria Pública na Execução Penal

 

 

pixel
pixel
pixel
pixel
Busca
Ok
Buscar somente no tema Reforma do Judiciário
pixel
pixel
Meus Dados
pixel
pixel
pixel
Banner de ligação com o Tire suas Dúvidas
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
Retorna Sobe

 © 2007 Ministério da Justiça