data/documents/storedDocuments/{334263AD-A534-4B0E-AD1D-363427828AB4}/{73F17C2B-4A61-458C-AF49-76E7575B2807}/MJ.gif
pixel
Terça-feira, 16 de outubro de 2012
pixel
pixel

pixel
pixel
  Órgãos de Segurança
 Órgãos Normativos
 Órgãos Policiais
 Conselhos
 Conceitos básicos
  Sistema Único
 GGI
 Fundo Nacional
 Modernização
 Prevenção
 Perícia
 Gestão do Conhecimento
  Conselho Nacional - Conasp
 Histórico
 Competências
 Composição
 Consultas Públicas
 Ata das Reuniões
 Atos do Conasp
 Acompanhamento da Conseg
 Câmaras Temáticas
  Estratégia Nacional - Enasp
 A Enasp
 Como funciona
 Composição
 Grupos Temáticos
 Calendário de Reuniões
 Contato
  Educação e Valorização
 Matriz Curricular Nacional
 Ensino a distância
 Renaesp
 Editais Depaid
 Polícia Comunitária
 Valorização Profissional
 Educação D. Humanos
 Projeto Interagir
 Segurança Cidadã
  Estatísticas
 Pensando a Segurança
 Principais Estatísticas
 Qualificação do Trabalho das Fontes de Informação
 Produção de Conhecimento e de Subsídios Técnicos
 Produção de Sistemas de Coleta de Dados
 Contatos
  Força Nacional
 Institucional
 Quem pode integrar
 Operações
 BEPE
  Passaporte
 Informações sobre o novo passaporte
 Passaporte antigo
  Produtos Químicos
 Documentos de controle
 Habilitação
 Renovação de licença
 Contatos
  Segurança de Grandes Eventos
  Segurança Portuária
 Conportos
 Cesportos
 Declarações
 Normas, Termos e Roteiros
 Instalações portuárias
 Memória
 Treinamentos
 Organismos Internacionais
 Organizações de Segurança
  Segurança Privada
 Vigilância patrimonial
 Transporte de valores
 Escolta armada
 Segurança Pessoal
 Curso de formação
  Segurança Rodoviária
 Alerta de roubo e furto
 Nada consta de multa
pixel
pixel
  Serviços
Estrutura
Legislação
Mapa
pixel
pixel
pixel
pixel
Segurança Pública » Segurança Privada  »  Segurança Pessoal
pixel
pixel
pixel
pixel

Segurança Pessoal

A atividade de segurança pessoal é exercida com a finalidade de garantir a incolumidade física de pessoas.

Requisitos de autorização

Art. 36. O exercício da atividade de segurança pessoal dependerá de autorização prévia do DPF, mediante o preenchimento dos seguintes requisitos:

I -possuir autorização há pelo menos 01 (um) ano na atividade de vigilância patrimonial ou transporte de valores;

II -contratar, e manter sob contrato, o mínimo de 08 (oito) vigilantes com extensão em Segurança Pessoal e experiência mínima de um ano nas atividades de vigilância ou transporte de valores.

linha de separação de texto

Processo de autorização

Art. 37. O requerimento de autorização de funcionamento na atividade de segurança pessoal será dirigido ao Coordenador-Geral de Controle de Segurança Privada, anexando os seguintes documentos: (Texto alterado pela Portaria nº 515/2007-DG/DPF)

I – cópia ou certidão dos atos constitutivos e alterações posteriores, registrados na Junta Comercial ou Cartório de Pessoa Jurídica e minuta da alteração dos atos constitutivos da empresa quanto ao seu objeto social; (Texto alterado pela Portaria nº 515/2007-DG/DPF)

II -relação atualizada dos empregados, das armas, das munições e dos veículos utilizados;

III -comprovante da contratação de seguro de vida dos vigilantes;

IV -comprovante de quitação das penas de multa eventualmente aplicadas à empresa por infração administrativa aos dispositivos desta portaria.

V- comprovante de recolhimento da taxa de alteração de atos constitutivos. (Texto incluído pela Portaria nº  515/2007-DG/DPF)

§1°. Os vigilantes deverão estar com a formação, a extensão ou a reciclagem e o seguro de vida dentro do prazo de validade.

§2°. O vigilante deverá utilizar em serviço traje adequado à missão, estabelecido pela empresa, não assemelhado ao uniforme das forças de segurança pública, com logotipo, visível ou não, portando todos os documentos aptos a comprovar a regularidade da execução do serviço de segurança pessoal contratado.

Art. 38. As empresas autorizadas a exercer a atividade de segurança pessoal deverão comunicar o início de suas atividades à Secretaria de Segurança Pública da respectiva Unidade da Federação.

linha de separação de texto


Atividade

Art. 39. A execução da segurança pessoal iniciar-se-á, obrigatoriamente, no âmbito da Unidade da Federação em que a empresa possua autorização.

Art. 40. As empresas que exercerem a atividade de segurança pessoal cujos vigilantes necessitarem transitar por outras unidades da federação, deverão comunicar a operação, previamente, às unidades do DPF e do DPRF, e às Secretarias de Segurança Pública respectivas.

Informações obtidas na portaria DPF nº 387/2006 - atualizadas em 01/04/2008

 

pixel
pixel
pixel
pixel
Busca
Ok
Buscar somente no tema Segurança Pública
pixel
pixel
Banner de ligação com o Tire suas Dúvidas
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
pixel
Legislação
Conheça a portaria que consolida as normas de segurança privada 


Nova Portaria
Coneça a Portaria que altera a Portaria 387/2006. 


Regularidade de empresa
Consulta por CNPJ 


pixel
Retorna Sobe

 © 2006 Ministério da Justiça